O Clima pede Queijo e Vinho!

 

Basta a temperatura começar a cair para a gente ter mais vontade de se aconchegar em casa. É quando começamos a pensar em opções de lazer mais intimistas, como uma rodada de queijos e vinhos em família ou com amigos.

Se a ideia deste programa agrada, o melhor a fazer é apostar na variedade de sabores, para todos saírem satisfeitos.

Segundo a especialista Juliet Harbutt, autora de O livro do queijo (Ed. Globo, 2010), este saboroso derivado do leite se divide em sete tipos principais: fresco, fresco curado, branco mole, semimole, duro, azul e temperado.

Vários especialistas aconselham a iniciar a degustação com os queijos mais suaves ao paladar e finalizar com gostos mais marcantes. Outra forma de experimentar essas delícias prevê separar as provas por categorias, harmonizando cada etapa com um rótulo diferente. Inicialmente, os frescos, frescos curados e brancos moles, acompanhados por espumante ou vinho branco (Sauvignon Blanc, por exemplo). A seguir viriam os semimoles (que vão bem com Riesling ou Gewürztraminer). Na sequência, os queijos duros, que pedem uma bebida mais encorpada (um tinto italiano ou francês) e, finalmente, os queijos azuis (combinam com os doces, como Porto ou Sauternes).

 

Confira algumas sugestões de combinações:


Nas estações mais frias, comida e bebida se tornam bons pretextos para fazer fluir o bate-papo e podermos desfrutar momentos de descontração.